Notícias

Café da Manhã ABINC “O papel da Telecomunicação na Internet das Coisas”

A Associação Brasileira da Internet das Coisas, junto com a Vodafone e KPMG promoveu evento para convidados no dia 29 de Dezembro de 2016, com a presença do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, para discutir o tema do “Papel da Telecomunicação na Internet das Coisas”.

O presidente da ABINC, Flávio Maeda, abriu o evento contando que a Associação nasceu como uma startup, com o objetivo de ajudar a criar um ecossistema entre mercado de IoT, Governo e o setor de educação e fomentar negócios. “É preciso colocar no contexto qual a importância e urgência da IoT no Brasil” segundo Maeda, que acredita “na transformação digital, onde nenhuma empresa, ou segmento, está a salvo desta mudança e precisam começar a pensar como empresa de software”.
Para 2017, a ABINC tem como objetivo a geração de demanda, ou seja, ajudar a desmitificar o IoT com cases reais em diferentes indústrias, criar novos grupos de trabalho e comissões permanentes, e ser um interlocutor com o Governo.
Na apresentação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, o coordenador-geral, Thales Marçal Vieira Netto conta que na primeira quinzena de dezembro será assinado o termo de parceria de estudo com o BNDES para conhecer o mercado brasileiro e traçar estratégias, já com o lançamento da primeira consulta pública com 12 itens, entre eles assuntos regulatórios e legislação, o papel do estado e segurança e privacidade de dados. Thales afirma que “já temos (o País) tecnologia para fazer acontecer (o IoT), o que falta é modelo de negócios, por exemplo como uma cidade inteligente vai gerar de retorno”.
A Vodafone apresentou um estudo anual sobre IoT, o Barometer, baseado nas experiências de centenas de líderes ao redor do mundo. O objetivo é de explorar os impactos da Internet das Coisas. No ano de 2016, o tema foi “As chaves para geração de valor com a IoT”.
O sócio da KPMG, Marcos Fugita, mostrou “A Transformação do CIO no Mundo Digital” e como um “tsunami digital” de combinação de novas tecnologias, facilmente disponíveis está mudando a maneira de interagir e fazer negócios. O que impulsiona as organizações a se adaptarem a novos modelos econômicos, estruturais e comportamentais.
Para finalizar foi apresentado o resultado do estudo realizado pelo Grupo de Trabalho de Redes LPWANs (veja link para baixar o relatório ao final dessa matéria), coordenado pela ABINC, e que contou com a participação do CPQD, CISCO, AVNET, INATEL, VERMONT/SEMTECH, SIGFOX e de associadas à ABINC. O relatório GT LPWANs aborda a importância das tecnologias de LPWAN para o desenvolvimento da Internet das Coisas, os aspectos da regulamentação atual no que se diz respeito a operação das redes no Brasil e a adaptação das tecnologias ao cenário brasileiro.
Mais