fbpx
ArtigosEm Destaque

Aplicações de IoT no segmento hospitalar devem ter foco na melhoria de processos

Nos próximos anos, a Internet da Coisas (IoT) vai gerar grandes oportunidades para desenvolvedores de sistemas com aplicação para o segmento hospitalar e planos de saúde, com foco na melhoria de processos. É o que acredita Rita Ragazzi, ex-líder de pesquisa e consultoria em saúde pela Frost & Sullivan na América Latina (agora Senior Manager na KPMG Brasil).

A aplicação de IoT deve melhorar por exemplo na: localização de equipamentos, localização de pacientes, melhoria de processos automatizados. E também na verificação e checagem da qualidade: lavagem de mão dos profissionais de saúde, esterilização dos equipamentos, contagem de equipamentos e instrumentos na sala de cirúrgica antes e após um procedimento, inventário de estoque e controle de medicamentos.

No entanto, uma das grandes barreiras enfrentadas para a aplicação de sistemas com base em IoT é a segurança dos dados. Por esta razão a abordagem inicial deve se concentrar na melhoria dos processos clínicos.

“A questão da segurança eu acho que é uma das grandes barreiras para as aplicações no setor clínico, por isso o B2C tem uma adoção maior quando a gente fala de sensores de monitoramento dos pacientes por que eles têm uma aplicação menos crítica em caso de uma quebra dos protocolos de segurança dos dados”, comentou a executiva.

Dentro dos hospitais a introdução desses sistemas deve partir da área de tecnologia da informação (TI), mas para Ragazzi, a área de enfermagem deve ser uma grande aliada na adoção da IoT por entender o hospital de ponta a ponta, principalmente a parte operacional.

Entre os impactos positivos devido à adoção de IoT na melhoria dos processos certamente está a acreditação do hospital. A digitalização e automatização de processos contribuem para diminuir os erros e elevar o patamar de excelência, garantindo também um ROI satisfatório.

“O quanto se investe hoje em dia para que um hospital tenha acreditação, que nada mais é que a padronização e processos de indicadores de qualidade? Na hora que você padroniza isso, digitaliza isso, certamente você tem um ganho e você tem uma manutenção mais fácil desses indicadores”, explicou Rita Ragazzi.

Atualmente hospitais de ponta no sul e sudeste trabalham no desenvolvimento de soluções com base em IoT, inclusive o Albert Einstein possui uma incubadora de inovações dentro do hospital. Para muitos CIOs, os custos para integração é uma das barreiras que impede o investimento, mas a executiva acredita que a democratização da tecnologia na área de processos não deve demorar a acontecer.

“A questão maior é custo e integração. Mas eu acho que isso não é uma grande barreira. Na hora que o custo se tornar fácil e a informação for mais fluída para esses gestores, a adoção será rápida”, comentou a executiva.

Ainda segundo Rita Ragazzi, a diversidade de empresas no ABINC Summit foi muito positiva, graças à participação tanto de desenvolvedores quanto de empresas grandes de diferentes portes.

“A IoT é uma questão de interligação, é cadeia, então é colocar as pequenas e grandes empresas juntas, é conectar todas essas ferramentas, todas essas tecnologia”, comentou.

Sobre a importância do congresso de IoT Rita continuou:

“Eu acho que é entender as aplicações, entender as restrições, é distribuir informações sobre riscos, investimento e regulamentação. É essencial para o mercado crescer. Eu vejo gaps tanto de informação entre grandes e pequenas empresas como também de estimulo. Quais são as grandes oportunidades? Será que vale a pena investir nisso, será que não vale a pena? O quê eu faço hoje tem aplicação dentro de IoT? Tem oportunidade para mim dentro de outras áreas? Então eu acho que isso é muito relevante”, finalizou.

Associado da ABINC tem como benefícios:

+ Preços promocionais nos eventos da associação;

+ Ter acesso às demandas e necessidades de IOT do mercado (empresas e governo);

+ Networking com todo o ecossistema de IOT ABINC;

+ Ter seus casos de sucesso em IOT divulgados para todo o mercado.

Quanto maior for a nossa comunidade, mais forte e representativo será o nosso setor. Participe!

Clique aqui e saiba mais.

Tags
Mais