Artigos

Desafios para o 5G no Brasil

12/12/2022

• 1 min de leitura

Especialistas acreditam que País terá papel de protagonista global da nova tecnologia e comentam o que precisa ser feito para isso de fato acontecer.

 

O Brasil caminha para se tornar um dos principais players globais no cenário da nova digitalização. O passo a passo vem sendo dado de maneira exemplar. O País criou um modelo de leilão das frequências de 5G que foi elogiado em todo o mundo. No momento, vem cumprindo à risca o calendário de expansão das redes. E algumas empresas até já estão utilizando a nova tecnologia para gerar receita e inovação.

 

Marcelo Zuffo, professor titular da Poli-USP e diretor da InovaUSP, centro de inovação da universidade, explicou que já vêm sendo desenvolvidos pilotos de larga escala nas áreas de segurança, mobilidade e saúde, baseados em 5G, em parceria com empresas como Embratel, Ericsson e Deloitte.

 

“A universidade terá que pensar junto com a indústria sobre como gerar recursos humanos em proporção maior. Ainda estamos na fase de infraestrutura, e o 5G é um padrão um pouco mais aberto do que o 4G por causa da expansão que traz na conectividade de dispositivos de Internet das Coisas (IoT). E há problemas de software de borda (que fazem o processamento local de enormes quantidades de dados, assegurando ótimo desempenho aos sistemas)”, aponta. “Não é algo que um cientista da computação faça. É um software que tem que ter nuances de telecomunicações por causa da ultrabaixa latência e novos protocolos.”

 

Para Marcelo da Silva Miguel, diretor executivo de Marketing e Negócios da Embratel, o processo de transformação digital foi acelerado pela pandemia e agora, com o 5G, vai acelerar ainda mais. Os pontos de atenção para que o Brasil ganhe protagonismo no mercado passam por aí. “O primeiro desafio é entender esse processo e mudar o mindset. Nós mesmos firmamos a Embratel como um digital service provider, um enabler, que faz a orquestração e habilitação das soluções”, diz.

 

Ele afirma que a empresa já trabalha há mais de dois anos entendendo as necessidades de uso dos clientes corporativos. “Dependendo do grau de maturidade das organizações, temos níveis de desenvolvimento e soluções já com 5G bem avançados. Porém, temos muito a aprender, e quanto mais rápido nos estruturarmos e trabalharmos de forma colaborativa com academia, empresas, todos os parceiros, vamos chegar mais rápido nas melhores soluções.”

 

Tecnologias emergentes

Na área da Indústria 4.0, o Brasil possui muitas empresas que estão evoluídas em processos de automação. Porém, para Miguel, já surge a necessidade de uso de tecnologias emergentes como machine learning (aprendizado de máquinas) e inteligência artificial, ainda não exploradas e com vasta área de aplicação porque serão habilitadas pelo 5G.

 

O professor Ricardo Janes, da FEI, afirma que o desconhecimento no setor empresarial de tais possibilidades ainda é grande. “Ainda falta essa visão do que é de fato o 5G, que não é só conexão para o celular”, diz. “O empresariado ainda tem que descobrir onde pode implementar em sua indústria, como pode se tornar uma ferramenta para melhorar a competitividade. Ainda existe muita dúvida no mercado. O desafio é mostrar isso desde a microindústria até as multinacionais.”

 

Uma das áreas de atuação da universidade, que mantém um laboratório avançado de pesquisa de aplicações 5G, diz ele, vem sendo a modernização de máquinas antigas, largamente presentes no parque brasileiro, de forma a reduzir custos e aumentar a produtividade. Para Paulo Spaccaquerche, da Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc), o primeiro desafio passa por entender os diversos “Brasis” para realizar um planejamento mais aderente da expansão das redes e seu uso nos negócios, de acordo com o perfil de cada localidade.

 

“5G não é telefonia. 5G é conectividade, veio para impulsionar uma série de projetos. Toda a parte de novas tecnologias que estão aparecendo, o pessoal precisa absorver e conhecer. E nada disso é importante se você não tiver o entendimento do negócio. Ele deve ser entendido para que você saiba o que usar, como usar e de que forma.”

 

Fonte: https://www.estadao.com.br/economia/desafios-para-o-no-brasil/

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Últimas Publicações

PREENCHA O
FORMULÁRIO

Como um associado ABINC, a sua marca estará associada ao cenário de IOT e sua empresa terá acesso a benefícios exclusivos além de uma biblioteca digital para seu time evoluir ainda mais.

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DE CADA PLANO

BENEFÍCIOS ONLINEFULL
SERVICE
POWER
SERVICE
BUSINESS
SERVICE
BASIC
SERVICE
STARTUP
Banner - Seções em abas do site da ABINC (período de 12 meses)
Banner - Seções no site da ABINC (período de 12 meses)
Banner - Seções no site da ABINC (período de 12 meses)
Speaker Evento ONLINE - Webinar (indicação cliente ou colaborador)31
Logotipo no "Webinar Online"
Logotipo em certificados dos eventos ABINC
Newsletter personalizada (período de 12 meses)64322
Área exclusiva do patrocinador no Hotsite do evento com logotipo
Mailing dos inscritos (todos eventos) ou pontual
Email marketing eventos ABINC/ Convites digitais
Artigo no Hotsite ABINC (não comercial pre aprovado pela ABINC)321
Exposição Logomarca ABINC em Apresentação Comercial (Selo Associado ABINC)
Inclusão Seção Parceiros
Desconto promocionais em workshops, congressos e eventos que constam a ABINC como entidade apoiadora
Acesso material digital da Biblioteca
Logotipo proporcional na tela de proteção eventos
BENEFÍCIOS OFFLINE
Backdrop credencial/eventos
Logotipo em certicados dos eventos ABINC
Material impresso eventos
Brindes eventos
Direito a convites para os eventos ABINC
Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Política de Privacidade.
X