fbpx
Início Artigos Internet das Coisas e a informática no setor de saúde

Internet das Coisas e a informática no setor de saúde

Por Marcus Vinicius Rocha
0 comentário

A coleta e a análise de dados é vital para um bom funcionamento das empresas, para a tomada de decisões na indústria, nos negócios e na área de saúde. Os dados sobre os pacientes e suas doenças são usados ​​para avaliar o progresso de suas condições pessoais de saúde, conduzir decisões de tratamento e também para construir importantes estratégias de saúde pública.

O desenvolvimento de aplicativos conectados a internet das coisas (IoT) tem proporcionado a criação de soluções potencialmente integradas para diversos desafios. Esse ecossistema conectado de tecnologia vestível, dispositivos estáticos e aplicativos, tem ajudado a coletar e processar dados vitais para a informática na área de saúde.

Neste setor, dispositivos vestíveis, como os Smartwatches, podem ser usados para coletar dados sobre os sintomas e condições do paciente. Com essas informações a inteligência artificial (IA) realiza uma análise completa e identifica o provável diagnóstico. Com algoritmos adequados a IA pode aferir resultados equivalentes a de profissionais humanos, como apontou um estudo feito em 2019 pela revista médica The Lancet.

Apesar dos avanços tecnológicos no software de IA, o mesmo estudo indica que confiar apenas no aprendizado profundo e nas máquinas não está isento de desafios. As máquinas não são capazes de oferecer aos pacientes a mesma empatia que um médico, por isso, a tecnologia é mais bem aplicada quando utilizada por especialistas nas áreas de informática em saúde.

IoT no combate ao novo coronavírus

A IoT está contribuindo no combate a COVID-19 com soluções em diferentes estágios como tecnologias de geolocalização, uso de drone para monitoramento de temperatura corporal e robôs inteligentes trabalhando na limpeza e desinfecção de áreas com alto grau de contaminação.

Monitoramento de quarentena

O controle do cumprimento da quarentena daqueles que estão infectadas ou sobre suspeita de ter contraído o coronavírus é muito importante para os governos e agências de saúde. Por isso, países em todo o mundo estão utilizando a IoT e a tecnologia de GPS para rastrear a movimentação das pessoas em observação.

Hong Kong, por exemplo, utilizou uma tecnologia capaz de criar um perímetro virtual usando GPS, RFID, Wi-fi, sinal Bluetooth e rede celular. Os passageiros que chegavam ao aeroporto receberam pulseiras rastreáveis e calibravam o dispositivo assim que chegavam em casa.

Desinfecção e áreas hospitalares

Robôs autônomos equipados com luz ultravioleta de alta intensidade estão sendo utilizados para destruir o DNA do vírus em instalações médicas na Itália, EUA e China. Os robôs possuem conexão Wi-Fi e podem ser controlados através de aplicativos remotamente.

Registro de proximidade privado

As empresas que desejam retornar as atividades de trabalho precisam oferecer soluções para proteger seus funcionários. Uma solução para manter o distanciamento entre os funcionários é uma cerca virtual a nível local. O dispositivo conectado a uma rede local aciona um sinal de alerta quando duas pessoas ou mais estão próximas demais uma das outras.

Novamente nos deparamos com questões de privacidade e liberdades individuais. Qual a sua opinião sobre estas soluções?

Referencias: IoT For AllThe LancetCanaltech

Você também pode gostar desses...

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao clicar em "Aceito", você concorda com o nosso uso dos cookies e tecnologias similares. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies