fbpx
ArtigosEm Destaque

O mundo pode aprender com as soluções inclusivas do Canadá para tornar os cidadãos mais seguros online

Por Mark Buell
Diretor Regional, América do Norte da Internet Society

O Canadá demonstrou grande liderança em sua abordagem inovadora para garantir o futuro conectado, aproveitando as diversas forças, origens e perspectivas que esse país tem a oferecer.

Embora a conclusão de um esforço colaborativo para produzir recomendações de políticas para manter o país seguro online seja definitivamente digna de comemoração, para os canadenses, o trabalho real está apenas começando.

A Internet mudou profundamente a maneira como fazemos as coisas, expandindo as oportunidades à medida que ela diminui as distâncias entre pessoas, culturas e ideias. Com os dispositivos conectados chegando às principais lojas do Canadá como nunca antes, a Internet das Coisas (IoT) está adicionando inúmeras facetas a uma nova era do potencial humano.

Ela também trouxe desafios novos e complexos em áreas como privacidade e segurança. Muitos de nós nos preocupamos com nossa segurança quando nos conectamos. Apesar dos pedidos recentes de governos em todo o mundo para criar uma regulamentação para manter os cidadãos e as informações seguras online, é fundamental considerar que nem uma pessoa nem um governo podem resolver esses problemas sozinhos.

Se há algo que o mundo da governança da Internet nos mostrou, é que obtemos melhores respostas para perguntas difíceis quando uma série de especialistas e de interesses podem participar significativamente da conversa.

Quando se tratar de segurança da IoT, o Canadá acertou em cheio. Este país enfrentou esse desafio através de um projeto colaborativo, que se baseou na perícia de diversas pessoas e organizações. Conhecido como o Canadian Multistakeholder Process: Enhancing IoT Security (Processo Multissetorial Canadense: Melhorando a Segurança da IoT), o grupo incluiu a sociedade civil, empresas de tecnologia, acadêmicos e desenvolvedores. Todos trabalharam em parceria com agências como o Canadian Ministry of Innovation, Science and Economic Development, o Canadian Internet Registration AuthorityCANARIE, e CIPPIC.

Os participantes criaram três grupos de trabalho focados na educação e conscientização do consumidor, na resiliência da rede e no potencial de uma marca de confiança. As recomendações de cada grupo estão incluídas no relatório final divulgado em 28 de maio.

As recomendações do projeto têm um peso sério em termos de credibilidade, porque incluem perspectivas de pessoas que nem sempre conseguem um lugar na mesa de tomada de decisões. Por exemplo, os jovens delegados trouxeram ideias valiosas sobre os possíveis desafios futuros da IoT de pessoas que cresceram em um mundo onde a Internet sempre existiu. Da mesma forma, os participantes da 2018 Indigenous Connectivity Summit nos ajudaram a entender os desafios únicos de acesso e segurança da IoT de pessoas sem Internet rápida, confiável e acessível. Além disso, outros países já estão considerando o modelo colaborativo do Canadá como uma prática recomendada para proteger a IoT. O Canadian Multistakeholder Process foi o eixo da IoT Security Policy Platform, um corpo colaborativo de agências governamentais e organizações globais que defende soluções inclusivas para tornar a segurança um pilar do nosso futuro digital. O Senegal e a França também estão seguindo esse caminho de trabalho.

Não há uma única pessoa por aí que possa criar uma Internet segura por conta própria. As soluções que vão durar precisam de todos nós. Enquanto o relatório canadense representa uma nova maneira de enfrentar o potencial e os desafios da Internet, ele é apenas o ponto de partida.

O que virá a seguir? Nós precisamos da sua ajuda para fazer as coisas acontecerem no Brasil!

O Comitê de Trabalho de Segurança da ABINC foi criado com este propósito.

A missão do GT é a elaboração e a promoção das melhores práticas de segurança de IOT, em colaboração com outras entidades e especialistas do tema ao redor do mundo, como a IOTSF – IOT Security Foundation.

Saiba mais em: https://abinc.org.br/comite-de-trabalho/comite-seguranca/

Isenção de responsabilidade: Os pontos de vista expressos neste post são de responsabilidade do autor e podem ou não refletir as posições oficiais da Internet Society e da ABINC.

Fonte: Internet Society

Mais

Veja também

Close