Artigos

Presidente da SMART Modular Technologies fala sobre oportunidades com IoT e expansão de negócios no Brasil – Parte 1

16/07/2021 às 10:30 • 1 min de leitura

Com muito orgulho, a Associação Brasileira de Internet das Coisas – ABINC – anuncia seu novo patrocinador Full Service IoT, a SMART Modular Technologies que atua no mercado de componentes semicondutores de memória, de módulos de memória, de dispositivos de armazenamento de dados em estado sólido (Solid State Drives – SSD’s) e de módulos de comunicação sem fio para a Internet das Coisas. A SMART Modular Technologies atua no mercado nacional a quase duas décadas, sendo pioneira e líder absoluta na produção de circuitos integrados de memória DRAM, Flash e de módulos de memória. E é subsidiária da SMART Global Holdings.

A ABINC entrevistou o diretor presidente da SMART Modular Technologies, Rogério Nunes, que falou sobre projetos, expansão das operações, oportunidades de negócio no Brasil e proteção dos trabalhadores contra a Covid-19. Para o executivo, a parceria com associação é de grande importância já que em seu quadro de associados estão os principais players do mercado de IoT. Nunes ainda destaca que através deste coletivo é possível gerar condições para melhorar a complexidade tributária no país.

“A ABINC possui os principais players do setor. Que podem ser concorrentes ou parceiros, mas que no fim, irão gerar condições para as questões regulamentares para o mercado. O Brasil é carente de regulamentações, tem uma enorme complexidade tributaria. Nós entendemos que através da ABINC podemos levar as nossas demandas, obter respostas e colaborar com soluções, dando as nossas ideias e buscando resolver e estimular os negócios de IoT”, comentou Rogério Nunes.

Com expertise na produção de componentes eletrônicos, a companhia trabalha para expandir suas atividades na cadeia de valor da internet das coisas. Desde 2020 são produzidos módulos de comunicação LoRaWAN, os dispositivos são utilizados no monitoramento inteligente do consumo de água, gás e energia elétrica. Apesar do pouco tempo de mercado, o produto já se mostra competitivo frente aos concorrentes importados, colocando a SMART Modular Technologies em uma posição de crescimento para os próximos anos. A empresa já avalia novas oportunidades na parte de hardware, que devem passar por diversos tipos de sensores e devices já utilizados nas aplicações de IoT, e mira também o desenvolvimento de software e serviços.

As operações da SMART Modular Technologies são independentes da matriz SMART Global Holdings e suas subsidiárias. Exemplo disso é a nova aquisição do grupo, a SMART Wireless, focada no desenvolvimento de tecnologia para cidades inteligentes e dispositivos para área de saúde. Um dos destaques desta empresa é um espelho inteligente utilizado em academias para o monitoramento da atividade física dos alunos. O dispositivo, que não tem previsão de chegar ao Brasil, também pode ser utilizado em casa oferecendo maior capacidade de conexão com outros aparelhos e ampliando a analise de dados.

Leia abaixo a primeira parte da entrevista realizada com o diretor presidente da SMART Modular Technologies, Rogério Nunes.

ABINC: QUE DESAFIOS DA NOVA DINÂMICA MUNDIAL A SMART TÊM PARTICIPADO E SE INSERIDO?

Rogério Nunes: O mercado mundial tem dado mensagens muito claras no que diz respeito à tecnologia. Não tenho como deixar de citar nesse exemplo a guerra tecnológica que se criou entre os EUA e a China, por exemplo, focados numa concentração desproporcional de fabricação na Ásia. Essa desproporção parece estar começando a criar condições para que isso seja quebrado. A gente vê o governo americano fazendo investimentos enormes em diversos setores, atraindo fábricas de manufatura. Investimento de bilhões para que as grandes corporações e não apenas as pequenas startups, se instalem e venham a gerar manufatura no mercado americano. Igualmente saiu na Europa há poucas semanas um planejamento conjunto entre diversos países, colocando um número astronômico de investimento possível, atraindo e incentivando as empresas para que elas venham a se instalar também na Europa.

A Europa pretende produzir pelo menos 20% dos componentes do mundo, hoje ela não produz nem 5%. Nesse cenário eu vejo que o Brasil pode despontar porque o país não tem restrição aos EUA, à Ásia ou Europa. Na verdade, o Brasil aparece como uma oportunidade, se conseguir fazer reformas tributárias adequadas, se conseguir criar mais competitividade e estabelecer critérios importantes de exportação, eu vejo que o Brasil poderá atuar muito fortemente porque tem conhecimento e um forte mercado interno e tudo isso poderá ser uma alavanca para que o Brasil passe então a exportar produtos.

Eu vejo a área de IoT como uma oportunidade grande para que projetos sejam feitos de diversas formas, com aplicações diversificadas e diferentes para países. Eu acho que o Brasil então surge como uma oportunidade grande para se desenvolver e produzir tecnologias aqui, que possam então ganhar uma cadeia de valor globalmente em função das restrições que surgem aí fora. Para que isso aconteça, é necessária uma forte ação da iniciativa privada, por isso nós estamos aqui com a ABINC, buscando fazer investimentos nesse setor, mas vai precisar também de uma grande cooperação de governo, criando estratégias adequadas, relações comerciais internacionais adequadas para que esses negócios possam vir a acontecer de forma bilateral.

ABINC: QUAL O FOCO ESTRATÉGICO PARA 2021?

Rogério Nunes: Bom, nesse ano de 2021 nós anunciamos recentemente uma expansão para uma operação em Manaus, buscando otimizar as condições de incentivo, uma vez que no Brasil as regiões têm características de custo/incentivo, dependendo da sua produção e até do destino desse produto. Então buscando otimizar esse aspecto tributário, logístico e operacional nós estamos fazendo esse investimento e nossa expectativa é que ainda ao final desse ano nós estejamos produzindo e vendendo produtos a partir de Manaus.

Em termos de produto nós temos o Solid State Drives (SSD) que estamos fazendo um investimento muito grande, e vai ser produzido tanto em Atibaia quanto em Manaus. Esse produto tem uma demanda expressiva no Brasil, cerca de não mais de 20% dos computadores em 2020 usaram SSD, e nesse ano nós imaginamos que esse número vai dobrar e no ano que vem deve chegar na casa na casa dos 60% a 70% dos computadores. Nesse cenário, sem dúvidas, é um produto que cresce no mundo. Mas a menina dos olhos que nós temos em 2021 é a IoT.

Nós temos nesse ano de 2021, uma expectativa de desenvolver nove produtos diferentes na linha de IoT, então eu não vou falar os detalhes desses produtos, alguns são confidenciais, mas nós temos uma expectativa muito grande de conseguir plantar sementes que darão frutos importantíssimos para nós nos próximos dois ou três anos no setor de IoT.

Na segunda parte desta entrevista traremos mais informações sobre a expansão das atividades da SMART Modular Technologies no Brasil e o trabalho da empresa no enfrentamento da Covid-19 em suas instalações. 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Últimas Publicações

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Política de Privacidade.
X