Moisés Silva é o novo diretor financeiro da ABINC

A Associação Brasileira de Internet das Coisas – ABINC possui um novo diretor administrativo financeiro, Moisés Silva, com mais de 20 anos de atuação em posições de liderança em áreas financeira, administração de contratos e vendas. Atualmente Silva é executivo sênior no mercado de Tower Co e possui experiência com clientes de diferentes verticais como: indústria, serviços, bancos, seguradoras, birô de cobrança, automobilístico, governo, segurança, energia, transportes, telecomunicações, educação, saúde, hotel e varejo.

Na ABINC, Moisés Silva espera também contribuir para que a associação possa ter maior diversidade de associados, tanto no porte das empresas quanto na atuação das mesmas na cadeia de fornecimento, atraindo mais empresas que entregam conectividade, dispositivo pronto, design, etc. O diretor financeiro enxerga o crescimento do mercado de internet das coisas (IoT) no país, mesmo com a pandemia de coronavírus, porque há uma demanda crescente pela automatização de processos, onde a IoT é fundamental.

Moisés Silva também destaca que, mesmo enquanto aguardamos o leilão do espectro 5G, que pode ser realizado no primeiro semestre de 2021, há tecnologias posicionadas para contribuir com o crescimento da IoT no Brasil. Isso se deve principalmente ao Plano Nacional de Internet das Coisas, sancionado pelo governo federal no ano passado, que contou com participação de empresas do setor e com a colaboração da ABINC para que a pauta pudesse progredir.

Para o diretor, o 5G será mais demandado dentro do edge computing, possibilitando o crescimento de soluções de veículos autônomos na melhoria e ampliação na experiência de jogos online e streaming de filmes. “Tem uma parte do mercado que é atendida pelas tecnologias LPWAN, NB-IoT e Cat-M, essa é uma parte da pirâmide. O 5G não é preponderante para que a IoT aconteça no país. Quando ele chegar dará início às ideias disruptivas. É um mundo que a gente não tem dimensão de onde pode chegar”, comentou.

Fazendo um apanhado histórico, Silva reflete que muita coisa já foi transformada no segmento M2M, saindo de uma tecnologia analógica e tornando tudo mais dinâmico com as tecnologias de comunicação atuais. E que determinados segmentos, como o de medição e rastreamento não devem migrar de tecnologia. Sobre a redução de impostos sobre a IoT pautada no congresso, Moisés Silva acredita que a medida deve contribuir para alavancar o mercado, beneficiando todo o setor, principalmente as operadoras que poderão fazer novos investimentos.

“Ao reduzir os impostos você alavanca o mercado de dispositivos que estava represado por esta condição. Sem dúvida, ao eliminar essas taxas o governo viabiliza que a indústria local incremente a fabricação de dispositivos. Isso também alavanca quem já estava posicionado como a LPWAN, porque torna mais claro para o consumidor onde cada tecnologia se posiciona. Para mim é um jogo de ganha ganha a partir do momento em que o governo libera os custos para que as operadores possam se sentir mais motivadas para investir em NB-IoT e Cat-M, que é onde essas taxações tem mais impacto”, comentou.

O novo diretor financeiro também convida àqueles que fazem parte do setor de IoT a se associarem a ABINC, para que fortaleçam a sua empresa e a comunidade.

“Estar junto com seus pares em associação fortalece a sua capacidade de levar seus pleitos tanto para sociedade civil, quanto para as entidades governamentais de forma estruturada. Isso é importante não só do ponto de vista de representatividade, mas também pelo respaldo da associação aos anseios da comunidade. Se associem, façam parte, coloquem suas ideias e ajudem o país a crescer”, finalizou.