Pesquisa desenvolvida pela Microsoft revela maior adoção de IoT em 2020

A Microsoft divulgou seu relatório anual sobre a Internet das Coisas (IoT), desenvolvido em parceria com o grupo Hypothesis, agência de inovação, design e estratégia. Nessa segunda edição foram entrevistados mais de 3 mil líderes nos EUA, Reino Unido, Alemanha, França, China e no Japão. A pesquisa traz indicadores sobre o crescimento da adoção da IoT principalmente com a utilização de novas tendências tecnológicas como a inteligência artificial (IA) e a computação de borda.

Como esperado, a adoção da IoT está crescendo, 91% dos entrevistados afirmaram estar usando a tecnologia em 2020, sendo que 8 em cada 10 possuem ao menos um projeto em fase de uso. Mais empresas também passaram a considerar o ecossistema crítico para o sucesso de seus negócios, passando de 88% em 2019 para 90% nessa pesquisa. E entre aqueles que fizeram a adoção 94% estão felizes com o seu desempenho.

Os países pesquisados possuem cerca de um quarto dos projetos em fase de uso. Na China essa etapa é alcançada mais rapidamente, com cerca de 10 meses. A adoção é mais lenta no Reino Unido e no Japão, com mais projetos de IoT em fase de aprendizagem. De todo modo, a adoção é forte em todos os setores, porém menor na área de saúde onde também é considerada menos crítica para o sucesso.

A pandemia do novo Coronavírus tem criado um efeito único no campo da internet das coisas, fazendo com que muitas empresas acelerem suas estratégias para adoção. Um em cada 3 entrevistados afirmaram que irão aumentar os investimentos em IoT devido a Covid-19. Segundo a pesquisa, a adoção do ecossistema faz parte de uma mudança cultural mais ampla das organizações, com foco na otimização de sua produtividade e na proteção de seu ambiente.

Aliás, a segurança é um dos principais fatores para essa mudança, 47% das empresas estão preocupadas com seu ambiente de tecnologia. Além disso, a otimização de energia e a sustentabilidade também é citada por cerca de 30% dos entrevistados. Ainda segundo a pesquisa, as empresas continuam altamente dependentes da eficiência operacional fornecida pela IoT. Mais da metade afirmaram que a adoção ajudou a aumentar a eficiência operacional, também são citadas como benefícios a economia de custos, qualidade e aumento da capacidade de produção.

Por outro lado, alguns desafios para sua adoção são determinantes para as empresas. Um quarto delas consideram as soluções de internet das coisas tecnicamente complexas e demoram muito para implementar. Também há falta de recursos financeiros e humanos para gerenciar os projetos. Por outro lado, para a maior parte dos entrevistados a preocupação com a segurança não é impedimento para o investimento em IoT.

O uso de tecnologias emergentes junto a soluções de IoT também tem crescido em 2020. Mais empresas incorporam em seus projetos tecnologias como computação de borda, gêmeos digitais e IA. As empresas entendem sua importância, no entanto, há restrições organizacionais que impedem sua maior adesão. Mais uma vez o recurso humano habilitado para o trabalho é escasso. As dificuldades para se desenvolver alguns testes também inibem a adoção futura.

Por fim, se conclui que a IoT está permitindo que as empresas tornem seus negócios mais eficientes, produtivos e seguros. As lideranças já compreendem a importância da tecnologia e por isso precisam se engajar para promover uma cultura de IoT dentro da organização, para que o processo de adoção possa ser mais eficiente, contribuindo para o melhor aproveitamento de suas eficiências.