Artigos

Webinar Agricultura Digital: Desafios e Oportunidades com a IoT

16/07/2021 às 10:30 • 1 min de leitura

Estudos recentes indicam que a Agricultura Digital cresce em todo Brasil.

Algumas das tecnologias mais presentes no cenário da produção agrícola são:

  • Sistemas de localização por satélite;
  • Análise da variabilidade espacial e temporal;
  • Imagens e sensoriamento remoto aplicado à gestão agrícola;
  • Geoprocessamento aplicado ao gerenciamento de lavouras;
  • Amostragem e interpretação de mapas, sensores e atuadores;
  • Na pecuária, a bovinocultura digital;
  • Georreferencimento e geoposicionamento de máquinas e equipamentos;
  • Utilização de drones em diversos aspectos: para monitoramento do plantio, geolocalização, coleta de informações, entre outras aplicações;
  • Tecnologias de RFID para gestão de ativos, insumos e produtos ao longo da cadeia de valor;
  • Tecnologias remotas para controle e gestão de caracterização de solo.

Segundo informações publicadas pela Embrapa, 17,5% dos produtores rurais estão utilizando tecnologias como drones e sensores remotos para obter dados cruciais das culturas. Levando em consideração os novos lançamentos de sensores previstos nos nanosatélites e nos microssatélites, que deve acontecer em 2022, a demanda pelo serviço deve aumentar substancialmente.

O uso de drones no campo se tornou uma tendência em todo mundo. Além de levar sensores para o monitoramento de áreas, os aparelhos também são utilizados na pulverização agrícola e no controle biológico. O mercado global de drones, especificamente para agricultura, cresceu 172% nos últimos quatro anos, atingindo US$ 32,4 bilhões neste mesmo período e segue em projeção de alta para os próximos anos.

Os dados são uma amostra da importância das novas tecnologias, para que o produtor rural possa planejar com mais qualidade a sua atividade e melhorar a gestão da propriedade.

WEBINAR ESPECIAL SOBRE AGRICULTURA DIGITAL

O tema foi pauta no webinar Agricultura Digital: Desafios e Oportunidades com a IoT promovido pela Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC). Na oportunidade, o professor de engenharia agrícola da Universidade Federal de Viçosa, Daniel Marçal de Queiroz, nos deu uma visão geral desses temas, e nos apresentou o livro Agricultura Digital. A obra, pensada para o público acadêmico e também para aquelas que atuam na área, possui um amplo conteúdo para o desenvolvimento da agricultura de precisão.

A obra contou com a colaboração de diversos professores pesquisadores e especialistas. A edição final foi realizada pelos também professores Francisco de Assis Carvalho Pinto, Aluízio Borém e Domingos Sarvio Valente, que também participou do webinar apresentando as transformações nos processos de produção no campo. O diretor de relações institucionais da ABINC, Herlon Oliveira também é um dos colaboradores do livro.

“Podemos dizer que a Agricultura Digital é um novo insumo agrícola para orientar a tomada de decisão com base em dados. Para isso, sensores dos mais diversos tipos, acoplados em máquinas, plantas, solos, animais, drones e robôs estão constantemente conectados. Na outra ponta, o processamento dos dados é realizado com base em inteligência artificial. Dessa forma, a tomada de decisão de todo processo produtivo passa a ser mais eficiente e objetiva. Por consequência, pode-se reduzir custos de produção, aumentar a produtividade, melhorar a qualidade dos produtos e reduzir impactos ambientais”, afirmou o professor Sarvio Valente.

Sem dúvidas que teremos um processo de democratização do acesso a tecnologia no campo. A expectativa é que nos próximos três anos tais tecnologias, que estão hoje presentes em uma pequena parte dos grandes produtores, já esteja disseminada para a grande maioria da área plantada no país, em diferentes culturas e tamanhos de propriedades, facilitado inclusive pela Lei de Incentivo ao IoT, que poderá proporcionar redução de custo dos equipamentos e tecnologias. Assim o IoT segue cumprindo o seu papel dentro da inovação tecnológica em um dos mais importantes segmentos da economia em nosso país.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Últimas Publicações

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Política de Privacidade.
X