Retrospectiva 2020: Comitê de Cidades Inteligentes

A Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC) trabalha para promover interesses e negócios com IoT através de diversos comitês de trabalho. Atualmente existem nove comitês ativos na instituição, são eles: agronegócio, auto & mobilidade urbana, dados & IA, jurídico, manufatura, redes, segurança, saúde e também o de cidades inteligentes, lançado em junho deste ano.

Na oportunidade, os especialistas no tema debateram o papel da tecnologia para a transformação de uma cidade inteligente. Com mediação do presidente da ABINC, Paulo José Spaccaquerche, o webinar contou com a presença do Presidente do Conselho de Cidades Inteligentes da ABINC, Aleksandro Montanha.

Também participaram: o Diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital na Secretaria de Empreendedorismo e Inovação, José Gustavo Sampaio Gontijo; o Gerente Técnico e especialista em IoT da Intel Brasil, Fabiano Sabatini; o autor de cinco livros relacionados ao tema de tecnologia e inovação, André Telles e o Manager do Smart City Expo Curitiba, Beto Marcelino.

Para os especialistas nenhuma cidade se torna inteligente de maneira imediata ou mesmo com a adoção de uma tecnologia disruptiva. É preciso um olhar profundo para a cidade, entender onde a tecnologia pode melhorar o dia a dia dos cidadãos que vivem e trabalham nela. Esse é o ponto mais sensível para os gestores, já que a tecnologia por si só não é capaz de transformar uma cidade em uma Smart City.

É preciso gerenciar com expertise cada sensor instalado na cidade para que os benefícios de sua adoção possam ser sentidos pelas pessoas, mesmo quando elas não saibam que estão utilizando a tecnologia. Um exemplo disso são câmeras de monitoramento, que podem enviar alertas para as autoridades de segurança, caso o sistema utilizando inteligência artificial detecte uma eventualidade suspeita.

No Paraná, algumas aplicações contribuíram para minimizar o impacto do distanciamento social provocado pela pandemia do coronavírus. O aplicativo Paraná Serviços está conectando clientes e prestadores de serviço como eletricistas, bombeiros hidráulicos e muitos outros. O App já recebeu mais de 30 mil downloads. Neste momento onde a solidariedade é ainda mais importante, doadores e entidade beneficentes também estão se conectando diretamente através de um aplicativo para smartphone.

Através do App Paraná Solidário as pessoas podem direcionar doações como roupas e alimentos às instituições que mais precisam. Dessa forma, os municípios não precisam se preocupar com o armazenamento e a logística dos materiais. Esses são apenas alguns exemplos de como a tecnologia pode contribuir para melhorar a vida de todos e assim tornar as cidades cada vez mais inteligentes.

Os retornos sobre o investimento em IoT não são apenas financeiros, mas também sociais. Porém, para que a tecnologia possa ter impactos mais profundos em nossa sociedade também precisamos de um grande programa de qualificação que englobe a todos os cidadãos. É claro que isso requer um grande investimento para o país, mas quando as pessoas compreenderem melhor as novas tecnologias e suas aplicações melhor será o seu aproveitamento.

Caso você não tenha consigo participar da transmissão ao vivo, você pode assistir a gravação clicando aqui.